Anima

A mulher que sou não se pode ver no espelho,
Meus seios são tão pequenos e minha voz é tão grave.
A mulher que sou é incapaz (ela não pode) de se apaixonar.
Eu gostaria de cortar as minhas genitálias e alimentar os cães com elas.
A mulher que sou é preparada para sentir dor.
As agulhas devem cortar apenas os restos feios.
Eliminação é impossível, devo deixar isso,
o meu eu é feminino, como eu sempre pude duvidar..

+++ Sopor Aeternus — Composição de Anna-Varney +++

Anúncios

2 Respostas to “Anima”

  1. Lord Kürten Says:

    Anna-Varney Cantodea…. poeta na qual prefere ser tratado como poetisa… perfeito e unico em suas composiçoes! Incrivel….. e principalmente Imcopiavel!

  2. Acredito que os sujeitos sociais que compõem uma minoria não o são essencialmente por fatalismo mas por escolha, por posição sócio-política.

    Muito me anima a ousadia por ter escrito o mesmo… a relação de genêro anda na pauta do dia e na subcultura ela também esta presente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: